A Gorda.

Passava lentamente a escova macia pelo cabelo.
Fios e mais fios ficaram nas cerdas.
A visão do cabelo caindo lhe deixara meio zonza...

- Merda, de novo!
Era a terceira vez nesse mês que Camila desmaiva, e ainda era dia 16.
Só podia ser culpa dos remédios que os pais estavam dando pra ela.
Fora forçada pelos pais e pelo médico a tomar uns antidepressivos tricíclicos.
Disseram que faria bem, que lhe auxiliaria a enfrentar o problema.

Como estavam engandos.
O maldito remédio estava deixando ela com a barriga mais inchada.
Ai meu Deus, onde vai parar esse bucho...
Gorda! A única palavra que conseguia pensar ao olhar seu corpo no espelho.
Estava gorda e flácida.
Era assim desde pequena, no início achavam até bonitinho, mas quando foi crescendo começaram os apelidos.
As crianças, ah as crianças. Ingênuas... sinceras... Cruéis!
Rolha de poço, baleia, bola de basquete... GORDA!

Ahhhhhh....
Limpava o liquido nauseabundo que escorria pelo canto da boca, uma massa verde e azeda saíra pela boca.
Chorava, lágrimas duras e honestas!
Poria fim nisso!

Estava cansada de ser gorda.

Tinha agora 17 anos, era grande, tinha um metro e setenta e três, por isso mesmo sempre tivera sua gordura aparente. Era uma loira, para quem os garotos sempre olhavam com uma cara de nojo. De uns tempos para cá, sumiram os apelidos, sobravam os olhares reprovadores. Um misto de pena e negação pulava dos olhos na rua, no colégio e até mesmo em casa.

Estava cada dia mais reclusa em seu próprio quarto, presa na solidão de seu sonho, distante da realidade cruel para a qual so voltaria quando alcançasse o peso ideal.

Corria, corria ... a maldita blusa frouxa de gorda lhe incomodava. Arrancou ela.
Subiu na balança. Despira-se de calça, sapato e roupas íntimas. Estava cansada, não de correr, de ser gorda.

Tremia pelo esforço, mas não dera jeito, ainda pesava gordos 42 quilos...Precisava emagrecer.

Comentários

  1. Nem é anoréxica, tadinha! O pior é que isso acontece meesmo com um trilhão de garotas que resolvem seguir o "padrão" de beleza imposto pela mídia e pela sociedade. Uma tristeza isso, você não conseguir se ver como realmente é...
    Texto mucho bom, realidade pura.

    ResponderExcluir
  2. Quando olhei o titulo do post, eu pensei: olha, o Dhenis fez uma post sobre a minha pessoa, mas quando vi o desfecho :O fiquei impressionada. Muito bom, parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. sobre tu é Virna! te acanha não né?! hehehehe

    ResponderExcluir
  5. KKKKK' É sério. Quando eu vi "A Gorda", eu pensei: olha... eu!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina