Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

Cheiro do amor

Com o dorso da mão limpou a lágrima teimosa que escorria solitária pela bochecha rosada.
O cabelo preso em um coque prático no alto da cabeça a impedia de esconder a emoção.
Já se passavam anos de convívio.
Lado a lado viveram momentos marcantes.
Ele estava presente na vida dela há tanto tempo que nem parecia não ter estado.
Mas a rotina os desgastara.
A vida a dois era boa, mas sempre fora adepta de demonstrações de afeto.
Por gosto dela já foram balões suficientes para erguer uma família. Roseiras inteiras entregues em oblação aquele amor. Tantas frases escritas no vapor do chuveiro elétrico que dava pra montar um livro, e não seria um fininho como aqueles de autoajuda, chegaria quase à um George Martin.
Sentia falta dessas provas.
Há meses aguardava ansiosa o dia em que ele demonstraria seus sentimentos.
Há semanas temia que fosse para um adeus amargo.
Mas aquele cheiro... aquele som dizia tudo.
O odor que entrou queimando os pelos do nariz acompanhado daquela estridência monocórdi…

Notado

Era por volta de seis da manhã.
O sol ainda preguiçoso acendia lentamente seus faróis.
O corpo esguio contra o chão contorcido em ângulos esdrúxulos era sintomático de uma vida.
De uma vida não. De uma morte.


- Alô, dona Carmem de Carvalho?
- Diga.
- A senhora tem algum problema cardíaco?
- Sim... é de alguma drogaria? Agora essa, nem amanheceu direito e eu recebendo trote...
- Bem, dona Carmem, a senhora poderia vir ao Instituto Médico Legal? A nossa assistente social gostaria de conversar com a senhora.
- Poderia... você pode adiantar...
- Infelizmente só podemos falar quando a senhora chegar.
- Ok...

O ônibus enganchado na lentidão habitual do trânsito hoje conseguia bater todos os recordes.
Não sabia se pelo aperto no peito que lhe fazia emergir em uma esfera espaço temporal distinta de tudo até então, mas nunca demorava mais do que uma hora pra fazer o percurso entre a casa e o centro da cidade e já estava presa ali há pelo menos hora e quarenta minutos.
Quando o ponteiro do reló…

O apadrinhamento

- Preencha mais esses dois formulários senhor Monteiro... ótimo, ótimo... Agora faça a decência de olhar bem para a tela... Pronto, lembre da emoção... Ah, lágrimas não?! Ok, ok, o que teremos hoje. Uma imagem austera e corajosa? O destemido desbravador? O amor fraternal? Ah, entendi... pois deixe-me mudar o fundo aqui no programa. Pronto, o senhor já está novamente em verdes pradarias, pode deixar sua mensagem...

Era o décimo no mesmo dia.
Desde que lei de apadrinhamento estatal foi criada muitos correram para o ministério do carinho.
No início sempre iam para as missões de Marte, a esperança era voltar rico das minas de corbescônio, mas, mesmo com os custos das viagens arcadas pelas empresas os terráqueos viram que não compensava. Os martiáquios (como eram chamados todos os descendentes dos terráqueos a partir da sétima geração que haviam passado por mudanças morfológicas oriundas da diferença do ambiente, mesmo que controlado por computador para parecer com o da Terra) haviam desco…