Futuro do pretérito.

Houve um tempo em que tudo era sonho.
Um amontoado de possíveis. Sorrisos trocados, beijos, abraços, carreiras e um mundo de possibilidades.
Esse todo agora não passa de cinzas.
Um grande futuro do pretérito que conjurava com medo e inocência.
Queria ele que tudo aquilo fosse hoje lembrança.
Quem dera pudesse agora, ao coçar os fios brancos da barba, poder lembrar do quão bom foi o caminho...
Contudo, uma vida feita de poréns é feita mais por frustrações do que lembranças.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina