O tempo.

O tempo é relativo.
Isso não é uma máxima física, é uma constatação cotidiana.
Cada um de nós acaba em algum momento buscando formas de sobreviver ao tempo.
Mesmo sendo ele mais poderoso que qualquer um de nós.
Gastamos tempo pensando em formas de ganhar tempo.
E acabamos percebendo que é um esforço vão.
Nunca conseguimos, mesmo com toda tecnologia que temos, conter a força de um vulcão.
Ou até controlar a fúria dos furações.
Aprendemos a sobreviver.
Aprendemos a conviver com esse poder, nunca a controla-lo
Ora, o que dizer então do tempo, a mais poderosa das forças naturais, que dobra as montanhas e seca oceanos.
Nós pensamos em horas, algumas grandes instituições pensam em séculos.
O tempo, não pensa, ele apenas é, foi e será. Não importa quem veio ou quem vira, ele permanece.
Ora, o tempo pode até ser relativo, mas ao mesmo tempo, ele é eterno.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina