Turambar

Esses últimos dias tem sido no mínimo estranhos para este pequeno navio.
Após voltar do porto de recife, vimos que a tripulação se desentendera e se entendera sem que nem o soubessemos.

Fico feliz que estejam bem, temo pelas feridas que sempre ficam, e por quem resolveu lutar pelo que não merece, mas fico feliz pela atitude de por fim ao comodismo e buscar o que deseja, é assim que vamos pra frente.

Também muita confusão tem acometido este pobre comandante, à pouco nada, agora, muito, mas tanto que temos que escolher o que jogar fora. E isso incomoda.

Para quem tanto já sofreu por crer que merecia mais, chegar ao ponto de ter que fazer escolhas de forma a tornar seguras essas vitórias, é estranho, mas necessário.

E como toda boa e precisa (entenda-se os dois sentidos que essa possui) decisãoi, essa deve ser tomada logo.

E já é bom dar um basta e parar de deixar a maré levar o barco.

Assumo para mim o título de Turambar que em alto élfico significa Senhor do Destino. Tomarei as rédeas novamente, e guiarei o leme de forma a ser o que sempre fui, o comandante deste navio!

Comentários

  1. Muito bem, comandante! Cá do meu posto, posso dizer que esta humilde tripulante fica feliz em vê-lo assim decidido. Se precisar, estaremos atentos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina