O amado.

O corpo dolorido reclamava pedindo um pouco de descanso.

Sentia as juntas preguentas de suor.

Os joelhos rangeram.

Levantava-se de junto da cama com dificuldade.

Ergueu os olhos já acostumados com a escuridão do quarto sem luxo e vislumbrou seu amado.

Chamaram-na de louca quando largou tudo por causa dele.

Não acreditavam que fosse possível, mas para ela era! E estava sendo.

Caminhou lentamente, inicialmente com as pontas dos pés, mas pouco a pouco foi permitindo que a planta toda se encostasse ao chão frio de sua cela.

Banhou-se com cuidado, seu dia estava chegando.

Precisava estar linda, precisava estar majestosa.

Tinha que estar a altura dele.

Com o corpo cheirando a sabão de coco foi se deitar.

Com as mãos debulhou as contas do rosário e descansou.

Amanhã professaria seus votos.

Amanhã deixaria tudo de lado.

Via cada rosto irônico, cada risada ao conhecer-lhe o sonho.

Relembrava as palavras duras do pai e da mãe.

Sentiu-se triste pelo namorado que deixara para trás.

Mas sentia-se plena pela coragem.

No mais intimo de si sentia.

Amanhã seria o dia.

Amanhã casaria com seu amado.

Comentários

  1. Muiito bonitinho! E gosto das frases curtas, dá um ritmo legal no texto. Mas hoje em dia tem mais mulher que largue tudo por homem não hein! Viva o feminismo!!! kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Tem sim, e não é nada de feminismo ou machismo não. Ela estava se tornando freira.

    ResponderExcluir
  3. ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina