Confissão


Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém... Conte seus pecados minha filha.
- Seu padre, eu pequei... pequei por adultério...
- É de coração contrito que buscas perdão?
- Sim seu padre, amo meu marido, ele me dá tudo o que eu preciso, mas mesmo assim eu acabei cedendo ao desejo... ele era tão bonito e tão..
- É.... tudo bem filha, reze o ato de contrição  e depois vinte Ave Marias e dez Pai Nosso para pedir a mãe santíssima que lhe ensine o amor e a castidade.
- Mas... seu padre... o que eu ganho com isso... o correto não seria eu ter que ir até minha casa, arrependida e contar para ele tudo o que eu fiz... contar que mesmo amando a ele me entreguei a outro...
- Reze mais dez rosários ... E só depois volte aqui... 
- Mas seu padre... eu estou querendo ir lá e contar a verdade. Não estou mais entendendo nada...
- Você pode não ter entendido, mas eu entendi... Esses rosários não são por sua traição... Todos temos quedas, todos pecamos, e todos temos o direito de voltar a Deus com o coração arrependido em busca do perdão... 
- Mas não é isso que eu to fazendo seu padre?
- Não... você rezará para quem sabe aprender com o sacrifício o que se chama amor... Você não só pecou, você quer destruir aquele contra quem você pecou... não contente em trair seu marido você quer que ele tenha que conviver dia e noite com a sua traição... você quer que ele tema a cada vez que estiver longe de você... você quer que ele sofra e que talvez, em meio a irritação ele acabe tomando outra mulher para que você se sinta menos mal e possa continuar com sua prática com a desculpa de que só está se vingando... Você deveria ter vergonha!
- Mas... não... eu não quero mais fazer isso...
- Se não quer, por que atormentá-lo? Por que colocar outra pessoa dentro de sua casa, sobre a sua cama a cada vez que vocês estiverem cumprindo suas obrigações matrimoniais? 
- Seu padre... se ele souber... talvez ele me queira mais... talvez vendo que outra pessoa me deseja ele passe a me desejar mais ainda... o senhor não sabe como é...
- Sei minha filha... sei.... sei exatamente como é deitar a cada noite sabendo que meu amado é meu e que ele me ama, de um modo único e inigualável, sabendo que mesmo assim, talvez hoje, amanhã, ou depois ele não atenda a minha voz, não escute o meu desejo, não responda aquilo que eu quero! Não venha me falar de solidão... enquanto eu vivo em uma grande noite escura.... 
- Mas... mas... por quê?
- Porque eu o amo, independente do amor dele por mim, porque quero lhe ser fiel, independente da fidelidade dele por mim, por que quero ser dele e somente dele. Isso é amor! O que você quer se chama egoísmo. Você não o quer você quer os olhos dele sobre você... Isso é o desejo de Narciso...
- "Meu Deus, eu me arrependo de todo o coração de vos Ter ofendido, porque sois tão bom e amável..."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina