Tanto (a)mar.

Entre o fado e o samba há um atlântico.
Tanto por querer e tanto por existir.
Tanto a lamentar e tanta vida a se viver.
Mas no final, seja ao som das cuícas ou alaúdes, existe uma dor para cada um.
Seja ela saudade ou amor.
Seja d'aquém ou d'além mar.
Sempre existe uma dor e sempre haverá.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A lição.

Sabedoria canina

"A beleza do morto"