Dos jovens marinheiros em terra estranha.

Passei muitos dias sem escrever, mas muito ocorreu.

A dor da perca de meu amigo próximo nos levou a uma situação de fragilidade de autoridade.
Mas mesmo com todas as dificuldades, navegamos a paragens distantes e belas.
Chegamos a uma terra de montes altos e verdes.
Terra muito bela, mas de gente séria e preconceituosa, o que faz com que a cidade perca um pouco de sua beleza.
Levei meus marujos a uma convenção, os jovens marinheiros viram pela primeira vez uma terra distante e pessoas de outras praias...ficaram tão extasiados que nada mais lhes fazia sentido...
Fomos em busca de tesouros, mas a pressão, o medo e o nervosismo fez com que eles voltassem com pouco menos do que esperávamos.
Mas foram felizes, creseceram em conhecimento, experiência e sabedoria.
Para mim, este é o tesouro.

Prometíamos mais glórias, mas dou-me por satisfeitos em vê-los e ajudá-los a crescer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina