Bons sonhos.

A mente viajada num misto de sono e cansaço.
O olhar saltava de poste em poste. Eram os carneirinhos que lhe restavam.
Lá fora a vida corria louca ao compasso da pressa.
Há uma mão de distância, ele tentou saber o que se passava.
Ela estava lá do outro lado.
Ele queria descansar.
Ela queria esgrimar palavras.
Preferiu se deixar ser golpeado e dormir o sono dos derrotados.
Afinal, só queria descansar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina