A ofensa do erro

Em algum momento da criação tudo ficou decidido.
Apontar o erro é sinônimo de ofensa.
E das mais pesadas.
Não importa se a ideia é ajudar.

Ora, como ele ajuda o eu? Absurdo.

O acerto se conjuga na primeira pessoa, normalmente do singular, as vezes, e só as vezes, no plural.
Já o erro, esse é sempre praticado pela terceira pessoa.
Eu não erro, no máximo, sou perseguido.
Ou tudo é culpa de quem não tem o que fazer.
O erro é do outro, está decidido!
Não existem desculpas pra isso.

Erro é erro, e não adianta tentar justificar, você errou, eles erraram.

Eu?
Eu estou certo, e inclusive estou lhe alertando.
Eu, faço o que deve ser feito, e as vezes, preciso passar por cima de algumas regrinhas bestas que os outros inventaram só pra me atrapalhar.

Ele errou, vocês erraram.

Nós acertamos.
Eu... sempre acerto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina