Deveria...

A regulagem direita da braçadeira que suspende a sapata estava danificada pela trepidação claudiante da má constituição da via...
O saldo apontava R$ 0,27...
O celular com a tela rachada de ponta a ponta marcava onze e meia da manhã.
Fluiu três litros de suor em uma caminhada de vinte e cinco minutos a pé.
A casa, desarrumada de ponta a outra estava cheia de barro que a obra da frente teimava em jogar por cima do muro dele, mesmo após ter ido lá quatro vezes...
Deveria ter oferecido um cafezinho aos funcionários da obra.
Deveria ter levado uma Coca-Cola gelada pro mecânico, a quem já pagara mais de seiscentos reais entre mão de obra e peças.
Deveria ter entregue o celular para o ladrão que passou de bicicleta ao invés de ter segurado o aparelho e no embate ter derrubado-o no chão.
 .
..
...

Deveria ter mandado todo mundo tomar no cu.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina