O trilho e a encruzilhada.

Era a quarta vez nesta mesma semana que se via no meio de um lapso temporal.
Vivia o presente na mais plena certeza de que em algum momento passado ja havia visto aquilo...
Os sonhos que outrora pareciam um emaranhado estranho de pessoas e situações, que o colocavam inclusive em lugares onde ainda não tinha estado, naquele microssegundo parecia fazer sentido.
Em não menos que um instante tudo passava e voltava a viver o fluxo normal.
Geralmente fazia de conta que nada havia acontecido e continuava, contudo, eles vinham ficando cada vez mais frequentes e isso lhe despertava uma inquietação raivosa...
Será que afinal das contas estava tudo dentro de um único trilho ou seriam todas as encruzilhadas de sonho-memoria-presente um misturado de situações que o subconsciente juntava aleatoriamente?

Não sabia, e na bem da verdade, temia saber.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina