Pugilismo

Força.
Vamos lá cara: Força!
Que merda: FORÇA!
Bate mais.
Isso, quebra a cara dele.
Vai pra cima droga...
Bota pressão.
Mais um, outro, outro...
Não perde pressão...
Não perde...
Não deixa ele sair das cordas....
Que merda... vai atrás dele.
Não deixa ele te acertar.
Droga olha esse contragolpe.
Isso bate ne...não porra...sai daí.
Levanta a guarda.
LEVANTA A GUARDA.
.
..
...
Puta merda Jonnhy... você desistiu.
- Eu não desisti droga... eu não aguentei... Eu batia, batia e batia cada vez com mais força e ele não caiu. Ele fechou a guarda e esperou. Depois ele desapareceu da minha frente. Ele voava ao redor de mim e eu fiquei feito idiota naquele ringue procurando ele como quem tenta matar um mosquito com um jornal e não consegui... Eu tentei droga, mas eu perdi.
- Você perdeu porque é um fraco... Você teve ele nas cordas. Você teve tudo para vencer e mesmo assim deixou ele escapar. Você deveria ter vergonha de bater como um mocinha. Você não passa de.... O cruzado de esquerda interrompeu a fala do treinador.
- Eu bato fraco? Então levanta... Não é força. Não é apenas velocidade. Não é apenas técnica. É aguentar... bater, todos sabem bater, mas quantos sabem apanhar. Todos podem dar o primeiro soco, mas quantos tem coragem de atacar quando sabem o que vem como resposta? Ele me quebrou por dentro. Não porque ele bateu com força... Ele levou cinquenta socos a mais que eu droga... mas ele aguentou apanhar. E esperou que meu gás acabasse... e uma hora ele acabou. E quando isso aconteceu, ele ainda estava de pé. Quando eu acabei, ele estava apenas começando. Ele esperou a hora certa, e ai, enquanto meus braços pesavam ele ainda conseguia girar ao meu redor... E aí, ele me quebrou... bateu leve, mas meu espírito estava derrotado... Para vencer eu preciso aprender a me manter de pé... a me manter inteiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A beleza do morto"

A demasia do excesso.

Sabedoria canina